Adicionar aos favoritos
  • ReinoPlantae
  • FiloMagnoliophyta
  • ClasseLiliopsida
  • OrdemAlismatales
  • FamíliaAraceae
  • GêneroAmorphophallus

Flor-Cadáver

  • Nome científico
  • Amorphophallus titanum
  • Tamanho
  • Até 3 metros de altura
  • Peso médio
  • 75 kg

A capacidade de elevar a temperatura, tecnicamente chamada de termogênese, é uma exceção no reino vegetal. Apenas uma família de plantas tem esta propriedade bem conhecida e mensurada, as Aráceas.

Estas plantas são mais conhecidas por antúrios. O lírio-da-paz e a costela-de-adão são outros exemplos de Aráceas, amplamente cultivadas e vendidas no Brasil. As flores são minúsculas, dispostas numa coluna ereta (o espádice), que por sua vez está envolta por uma única folha modificada e colorida (a espata). A família reúne cerca de 3.000 espécies diferentes, a maioria vivendo na faixa tropical do Globo.

O mecanismo que proporciona a elevação da temperatura está ligado à respiração celular. A energia acumulada na forma de amido é utilizada pelas células e, neste processo, uma parte é perdida na forma de calor. As Aráceas destinam grande parte das suas reservas para a maturação de suas flores, sendo que, em algumas espécies de Voodoo Lily (Amorphophallus titanum e Sauromatum guttatum), esta destinação de energia para a flor é “violenta”.

Como tudo na natureza, esta produção de calor tem um motivo. O aumento da temperatura volatiliza os odores nauseantes da flor, a fim de atrair os insetos polinizadores, neste caso, besouros e moscas. O calor também contribui para aumentar a atividade dos polinizadores, enquanto estão na câmara floral.

Uma vez visitada pelos besouros e moscas, as flores do espádice recebem o pólen trazido de outra planta, completando a fecundação. Ao mesmo tempo, os polinizadores receberão o pólen da planta visitada, levando-o para uma terceira planta. Isto é o que se chama de fecundação cruzada, e visa misturar os genes das plantas da mesma espécie.

O cruzamento de genes é tão importante para uma espécie, a ponto de fomentar a evolução de mecanismos bizarros como a termogênese. Muito mais comum, mas não menos fantástico, são as formas, cores e fragrâncias desenvolvidas pela maioria das flores, como atrativo aos polinizadores (abelhas, moscas, borboletas, beija-flores e até morcegos). A Emiatá, a bela flor-de-fogo de Mura, parece ter reunido todas as qualidades florais: beleza, perfume e calor.

Você sabia?

Você sabia que esta planta inspirou a criação de um elemento do ecossistema fictício do mundo Mura? Clique aqui para conhecer a Emiatá.

Ocorrência

Fontes

Biologia Vegetal. Peter H. Raven, Ray F. Evert & Susan E. Eichhorn, Editora Guanabara Koogan S.A.

Heat-producing flowers. Roger S. Seymour & Paul Schultze-Motel (1997). Endeavour vol. 21, pg. 125–129.

Jogue e acompanhe os nossos personagens em sua corajosa aventura.
Cada jogo carrega uma história e a cada clique você saberá um pouco mais sobre os costumes e os mistérios escondidos pelo Mundo de Mura.