Adicionar aos favoritos

História

Trumai é a capital dos muras. Esta enorme aldeia é importante para seu povo por muitos motivos. Alguns rituais, só são feitos ali e com a presença de feiticeiros, da pajé e do Senhor da Aldeia. Famosa também por suas festas, Trumai é sede do maior evento dos muras; a Festa Milenar de Mura. Este evento é uma grande celebração à vida. Seu nome não tem relação a uma data exata, pois não há uma contagem precisa de tempo em Mura, e sim a uma idéia de quando a festividade ocorreu pela primeira vez.

Na festa, é possível encontrar os mais diversos tipos de atrações. As pessoas negociam comida, bebidas diversas, objetos de arte, vestimentas, artesanato, etc. Apresentações de capoeira, dança, música e magia são comuns como forma de atrair e entreter o público. Os aldeões consideram uma honra participar de qualquer uma destas atrações. Logo, todos se esforçam em seus treinamentos ou ensaios para ter a chance de mostrar seus talentos.

Arquitetura

Trumai é uma aldeia distribuída de maneira inteligente, que usufrui de conhecimentos gerados antes da separação dos povos, mas sem perder o aspecto de povoado indígena.

Certamente seria um grande retrocesso se o povo abdicasse dos conhecimentos de engenharia que possui e voltasse a construir moradias de palha. Mesmo assim, a vontade dos aldões era a de morar em construções naturais, como ocas. Então a solução foi cultivar frutos, tratando-os magicamente, para que estes tivessem resistencia e tamanho suficientes para servir como moradia.

Nada é mais alto que as copas das árvores; não há cercas entre as ocas ou outros elementos que lembrem grandes cidades.

Algumas “construções” destacam-se por seu tamanho, sempre horizontal, como as escolas, mas sempre com o mesmo formato. A oca do Senhor da Aldeia é grande e ornamentada, assim como a da Pajé e do Chefe da Guerra. O quartel e as ocas dos feiticeiros também são diferenciadas do resto.

Descrição

Trumai e seus aldeões não renegam seu passado ou abdicam dos conhecimentos adquiridos na época em que a tecnologia era aceita. O que os muras fazem é utilizá-los para facilitar o dia-a-dia. Mas isso é feito sem se deixar corromper por ambição ou esquecer suas raízes e crenças.

Por isso, os muras não constroem prédios. Nenhum aldeão ou Senhor da Aldeia concordaria em derrubar uma única árvore para erguer uma construção monstruosa simplesmente para “empilhar” pessoas.

Em Trumai há escolas que instruem e alfabetizam os aldeões, preparando-os para assumir alguma responsabilidade na subsistencia da aldeia. Se algum tipo de energia se faz necessária, esta é obtida magicamente, evitando qualquer risco de danos ao ambiente.

Mesmo assim, a alusão à tecnologia tem limites. Não há veículos, estradas ou calçadas em Trumai. O chão batido é por onde os aldeões transitam.

No centro da aldeia há uma clareira, com espaço para uma enorme fogueira no meio, onde são realizados os mais diversos eventos. Desde festas e comemorações de aniversários importantes, até rituais ou cerimônias.

Como é hábito em qualquer aldeia indígena, todas as pessoas trabalham. Mulheres, homens, crianças; todos têm suas obrigações. Há alguns cargos mais reconhecidos que outros, mas a importância da coletividade jamais é esquecida.

Sociedade

Jogue e acompanhe os nossos personagens em sua corajosa aventura.
Cada jogo carrega uma história e a cada clique você saberá um pouco mais sobre os costumes e os mistérios escondidos pelo Mundo de Mura.